Tirâ pai na putau

Já passaram dois anos desde que fotografei o último espectáculo. Mas este mês tirei o coração das misérias e fotografei dois. Ficar tanto tempo sem fotografar o que eu gosto não é nada bom… Desta vez foi o ensaio geral do “Tirâ Pai di Putau”, levado à cena pelo Grupo de Teatro Dóci Papiaçam di […]

Read More Tirâ pai na putau

Lu Nan

“I wish my works could outlive me…” Lu Nan 1962 Born in Beijing 1989 Started to photograph The Forgotten People: The Condition of China’s Psychiatric Patients which was completed in 1990 1992 Started to photograph On The Road: The Catholic Faith in China which was completed in 1996 1996 Started to photograph Four Seasons: Everyday Life of Tibetan Peasants which was completed in 2004 2006 Started […]

Read More Lu Nan

Arquivo de Macau: City. Impression

Passo regularmente pela galeria do IACM, na Avenida Almeida Ribeiro, muitas vezes sem saber que exposição que está a ser exibida. Desta vez, a exposição era de fotografias da cidade de Macau, registadas entre 1960 e 1990, desenhando arquitectura, lugares, quotidiano e pessoas que hoje já não existem da mesma forma. Vi as fotografias sozinha, tentando […]

Read More Arquivo de Macau: City. Impression

Jessabel

Chama-se Jessabel. Pequena, morena, cabelo longo e liso, olhos meio rasgados, sorriso fácil e ternura nos gestos. Jessabel, é o meu nome, mas é complicado de dizer. Podes chamar-me Bella. Chamo-lhe Bella, sim, como me pediu.  Jessabel, um nome que ressoa miticamente dentro de mim, nome de rainha, nome de poder e rebeldia, não diz toda […]

Read More Jessabel
Em destaque

Tu, cristal em chamas derretido

(…) Tu, que em um peito abrasas escondido, Tu, que em um rosto corres desatado, Quando fogo em cristais aprisionado, Quando cristal em chamas derretido, Se és fogo, como passas brandamente? Se és neve, como queimas com porfia? (…) Gregório de Matos, do soneto ”Ardor em firme coração nascido!”   Não, não havia fogo. Até […]

Read More Tu, cristal em chamas derretido

Nos teus olhos (capriccio)

Os teus olhos são os meus olhos, como casas caiadas de fresco, lavadas da poalha dourada sobre o rio. O teu coração aquece-me a lembrança de tanto verde e azul e as rochas batidas do sol e das giestas são o teu corpo em que me deito e sacio de todas as horas em que não existes. Amar-te-ia […]

Read More Nos teus olhos (capriccio)

É a tua cidade

Sabes que cidade é esta onde caminhas pela rua a sorrir e paras a cada momento para um abraço? Sabes que cidade é esta onde o teu coração está em casa? Sabes que cidade é esta em que te envolves e sabes que não podia ser de outra maneira? Sabes que cidade é esta que […]

Read More É a tua cidade

Insolitus

Há um poema de Eugénio de Andrade que fala do insólito e não consigo encontrá-lo. Ele diria tudo o que eu tinha para dizer desta fotografia e da impressão que voltei a ter agora, quase cinco meses depois do registo. Mas não encontro… é uma pena. © Sara Augusto, 2016, Serra da Estrela.

Read More Insolitus