Hato

Hato, 23 de agosto de 2017 Até dia 23 não sabia sequer que era nome de tufão. E também não consigo lembrar-me da razão por que não saí de casa nessa manhã, enquanto o aviso de tufão se mantinha no grau 3, e não fui buscar os livros à escola como tinha pensado fazer no […]

Read More Hato

Jessabel

Chama-se Jessabel. Pequena, morena, cabelo longo e liso, olhos meio rasgados, sorriso fácil e ternura nos gestos. Jessabel, é o meu nome, mas é complicado de dizer. Podes chamar-me Bella. Chamo-lhe Bella, sim, como me pediu.  Jessabel, um nome que ressoa miticamente dentro de mim, nome de rainha, nome de poder e rebeldia, não diz toda […]

Read More Jessabel

Nos teus olhos (capriccio)

Os teus olhos são os meus olhos, como casas caiadas de fresco, lavadas da poalha dourada sobre o rio. O teu coração aquece-me a lembrança de tanto verde e azul e as rochas batidas do sol e das giestas são o teu corpo em que me deito e sacio de todas as horas em que não existes. Amar-te-ia […]

Read More Nos teus olhos (capriccio)

É a tua cidade

Sabes que cidade é esta onde caminhas pela rua a sorrir e paras a cada momento para um abraço? Sabes que cidade é esta onde o teu coração está em casa? Sabes que cidade é esta em que te envolves e sabes que não podia ser de outra maneira? Sabes que cidade é esta que […]

Read More É a tua cidade

A Oriente

Vai, mas não deixes de me escrever. Não deixes de escrever. Não deixes de fotografar. Sente tudo. Ana de Santa Cruz In mood for love Dia 15 de outubro. Entrei no barco em Hong Kong. Apenas mais uma hora para chegar a Macau. Chovia miudinho e por entre as nuvens rompia uma luz difusa e […]

Read More A Oriente

Night song

What did I do to make you feel so bad? What did I do that you would make me feel so bad? Julia Holter, Night song   Há razões na melancolia que as horas desconhecem e deixam que ela penetre cada minuto desocupado. E a melancolia vê a tua vida de forma distante, como se […]

Read More Night song

Fábula da lua

Havia uma lua enamorada do lago, do reflexo das árvores e dos juncos esguios. O nome da lua podia ser Narciso. Nas águas paradas contemplava a luz pálida, os traços de vales e crateras. Era um narciso conformado, demasiado longe para cair no lago. Talvez não haja história para contar. Havia apenas uma lua enamorada […]

Read More Fábula da lua