Tu, cristal em chamas derretido

(…) Tu, que em um peito abrasas escondido, Tu, que em um rosto corres desatado, Quando fogo em cristais aprisionado, Quando cristal em chamas derretido, Se és fogo, como passas brandamente? Se és neve, como queimas com porfia? (…) Gregório de Matos, do soneto ”Ardor em firme coração nascido!”   Não, não havia fogo. Até…

E as cidades contam histórias…

*** You can’t hide in Suburbia. Terceira crónica no Rua Direita. Outro texto difícil de escrever. Lembro-me bem como estava sentada na Buchanan Bus Station e dizia comigo mesma: eu vou escrever sobre isto. Levei tempo, mas decorei pormenores que ganharam mais força e se destacaram. Será que as coisas felizes têm história? E a…