Respiro mais leve ainda

E, aqui dentro, o silêncio…E este espanto! e este medo!
(Olavo Bilac, In extremis)

Poema II

Caminho leve
respiro mais leve ainda

Toco as pedras antigas
o musgo molhado
as rosas de inverno

Sinto a chuva miúda
quase névoa, quase pranto,
correr as flores do limoeiro

Não há ruído, não há silêncio
e lá dentro, no pensamento,
só este espanto
só este medo.

Ana de Santa Cruz, Texturas, II

 

 

4 opiniões sobre “Respiro mais leve ainda

    1. Eu achava que tinha descontextualizado alguns planos… contudo o meu pai não teve dificuldade nenhuma em dizer onde tirei uma das fotografias mais difíceis de identificar. O meu pai gosta imenso de fotografia. E nós gostamos dele e de fotografia.

Deixe uma Resposta para Helena Gonçalves Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s