Maneira de dizer

*** Quando tornar a vir a Primavera Talvez já não me encontre no mundo. Gostava agora de poder julgar que a Primavera é gente Para poder supor que ela choraria, Vendo que perdera o seu único amigo. Mas a Primavera nem sequer é uma cousa: É uma maneira de dizer. Nem mesmo as flores tornam, […]

Read More Maneira de dizer

Belleza

*** Finisce sempre così. Con la morte. Prima, però, c’è stata la vita, nascosta sotto il bla bla bla bla bla. È tutto sedimentato sotto il chiacchiericcio e il rumore. Il silenzio e il sentimento. L’emozione e la paura. Gli sparuti incostanti sprazzi di bellezza. E poi lo squallore disgraziato e l’uomo miserabile. Tutto sepolto […]

Read More Belleza

Van Gogh

*** The sadness will last forever. I put my heart and soul into my work, and I have lost my mind in the process. I will not live without love. Vincent van Gogh     Vincent van Gogh é um dos meus pintores preferidos. Será que consigo?  

Read More Van Gogh

Aquário de memórias

*** Entre imagens é uma série de documentários que a RTP2 está a passar às segundas feiras. No dia 18 foi a vez do episódio sobre o trabalho de José Manuel Rodrigues. Ia vendo, ouvindo e fazendo mais uma coisa qualquer, mas fui ficando presa quando reconheci algumas coisas de que também tenho alguma (pouca) […]

Read More Aquário de memórias

O quadro perdido de Liotard

*** Esta foi a nona crónica publicada no Rua Direita. Deu-me particular satisfação escrever este texto porque me fez percorrer muitas ruas de Roma por onde andarilhei horas e horas sozinha, quando as bibliotecas fechavam à tarde e os dias eram enormes. Depois recorri a uma das partes mais interessantes do Diário de João Baptista […]

Read More O quadro perdido de Liotard

*** Não importa quanto dura o inverno; a primavera vem logo a seguir. Provérbio. Sim, não resisto. São belas. São únicas. E fazem-me respirar fundo e situar as coisas no lugar a que pertencem. Lembram-me Alberto Caeiro, e o seu “Quando vier a Primavera”. Quando vier a Primavera, Se eu já estiver morto, As flores […]

Read More

Uykusuz Venüs

*** Dos confins da vigília. Como gostarias de te lembrar de mim? Dizes-me que voltaste Dizes-me que não me esperavas Digo-te Apenas Que permaneço intocável Ao sabor da leitura que foi nossa Descoso-me com os cuidados de uma      [costureira minuciosa Mesmo sabendo que não me esperaste Atravessei-te Sem sair de cá Atravessei-te Como […]

Read More Uykusuz Venüs