Teografias I: guerra interior, conversão e alegoria

Está disponível online o primeiro volume do projeto Revista Teografias, impresso em 2011. Naquela altura falei da Guerra Interior, de Matias de Andrade, ainda em preparação artigo com o título Guerra Interior: conversão e alegoria. Os objetivos foram cumpridos: Com o estudo desta narrativa alegórica, de edificação, reflexão e didática religiosa, a Guerra Interior (1743), de…

Estrada interior

O António José Coelho é um homem gentil. Está mais habituado a ler o que escrevo do que a ouvir-me… e os meus textos não são gagos. Quando foi o lançamento da Guerra Interior em Viseu, falámos na possibilidade de fazer duas entrevistas. Uma está feita, esta de que indico as ligações. Estava ansiosa, pois então….

Apresentação da “Guerra Interior”, Viseu

Sábado, pelas 15.30h, na Igreja do Seminário Maior, vai ser o lançamento da edição do manuscrito Guerra Interior, da autoria do Pe. Matias de Andrade, oratoriano que foi no século XVIII da casa de Freixo-de-Espada-à-Cinta, obra que resultou da parceria da Quartzo Editora com o Centro de Literatura Portuguesa. Já foi feita a primeira apresentação…

Mui comprida de soberba

Confesso. É só uma pontinha, assim miudinha, quase imperceptível… mas tem nome e chama-se vaidade. E lá estão pelo menos cinco volumes, alinhadinhos, entre o meu casal de Sargadelos, todos iguaizinhos, a dizerem que já cá estão e com muito gosto! Matias de Andrade não fala de «vaidade» mas fala abundantemente da «soberba», quase sinónimo….

Agudeza fingida

Sempre gostei desta expressão utilizada por Baltasar Gracián, a «agudeza fingida», utilizada no Tratado segundo de la agudeza compuesta, no Discurso LV, última parte da Agudeza y arte de ingenio, publicado pela primeira vez em Madrid, em 1642 (Baltasar Gracián, «Agudeza y arte de ingenio», in Obras Completas, Madrid, 1944). Pela ficção, anunciada como processo…

Qual outro cume do monte Olimpo (1740-1765)

«Em 1740, a Congregação do Oratório conhecia um novo impulso em Viseu, com a eleição de D. Júlio Francisco de Oliveira, o primeiro bispo oratoriano português, a quem Matias de Andrade dedica a Guerra Interior. Conhecedor da vivência urbana e de uma corte marcada pela ostentação, com fortes ligações ao poder real e aos círculos…

Um mundo interior abreviado dentro de si mesmo

Sara Augusto. «Para a ‘perfeita ordem e harmonia na república da alma’. A Guerra Interior, de Matias de Andrade (1743)». In A Guerra Interior  de Matias de Andrade (1743). Viseu, Quartzo / CLP: 15-18. «Não é fácil definir de forma exclusiva o género da Guerra Interior, uma vez que, assentando numa narrativa simples, onde as…

Fragmentos de uma edição

Marta Teixeira Anacleto. «Nota prefacial». A Guerra Interior, de Matias de Andrade (1743). Viseu, Quartzo / CLP, 2012, pp. 9-13. «Editar, em 2012, o manuscrito da Guerra Interior, escrito em 1743 pelo Padre Matias de Andrade da Congregação do Oratório de Freixo de Espada à Cinta, pode, à partida, parecer um exaustivo exercício académico ou…

Padre Matias de Andrade (1680-1747, Congregação do Oratório)

Sara Augusto. «Para a ‘perfeita ordem e harmonia na república da alma’. A Guerra Interior, de Matias de Andrade (1743)». In A Guerra Interior  de Matias de Andrade (1743). Viseu, Quartzo / CLP: 15-18. O manuscrito da Guerra Interior, datado de 2 de Maio de 1743, é da autoria do Padre Matias de Andrade, da…

Guerra interior

Em Guerra interior, do Padre Matias de Andrade, Oratoriano de Freixo-de-Espada-à-Cinta, retoma-se um dos temas mais antigos da espiritualidade humana. Na altura em que a edição está quase pronta, resolvi ir apresentando o texto e o seu autor. Hoje fica a capa da edição, da responsabilidade da Rute Augusto, mais um trabalho bem conseguido pela…