Nunca viste o mesmo céu

Nunca houve esta hora, nem esta luz, nem este meu ser. Amanhã o que for será outra coisa, e o que eu vir será visto por olhos recompostos, cheios de uma nova visão. Livro do Desassossego (fragmento 94). Sabes quantas vezes mais verás a primavera? Quantas vezes mais verás as rosas florir às dezenas no…

Luva branca, Láquesis…

*** Voltou a chover furiosamente. Entretenho-me a tecer as meadas que encontrei perdidas. Nem Cloto, nem Láquesis, nem Átropos, me vencem. Vou recortar o tempo e hão de perder-se no labirinto que vou construir . Ana de Santa Cruz Sabes, Láquesis, troquei-te a roda da fortuna. Já não é lisa… nem serás tu a decidir…

Septem soles

*** Se às vezes digo que as flores sorriem… Alberto Caeiro. Divido o tempo e vou somando. Um  ano, doze meses, um mês, trinta dias, uma semana. E somando retomo um ano, e neste exercício me demoro, prolongando o tempo, como se a espera e a passagem dos dias fossem alguma firmeza na penumbra.  E…

Escreler

*** Existem as palavras. Existem as palavras ditas, as palavras pensadas, as palavras escritas, as palavras supostas. E existe um tempo. E assim existe um espaço. Espaços. E existe a escrita. Que dá corpo. Que dá matéria. Que alonga as pontes entre o escrever e o ler. Escreler, de Manuel Portela. Na Casa da Escrita,…

Roga pro nobis

Fiquei quieta e baixei a máquina fotográfica. E, no entanto, a luz era perfeita, o enquadramento desenhado milimetricamente. Dei dois passos atrás. Percebi que ela chorava quando vi que os ombros estremeciam, como acontece nos filmes, e quando caíram duas lágrimas, que ela não escondeu, sobre as mãos enroladas no peito. Pareceu-me que ficou muito…