Era uma vez um ganso

Senhor ganso, por favor, olhe para mim! Obrigada. Agora, se não for incómodo, para a esquerda. Isso… muito bem. E agora para a direita… muito obrigada. Está muito bem, senhor ganso. Foi um gosto fotografá-lo! © Sara Augusto, 2016. Parque da Cidade, Porto. Da série Fábulas.  

Read More Era uma vez um ganso

Night song

What did I do to make you feel so bad? What did I do that you would make me feel so bad? Julia Holter, Night song   Há razões na melancolia que as horas desconhecem e deixam que ela penetre cada minuto desocupado. E a melancolia vê a tua vida de forma distante, como se […]

Read More Night song

Chamo-me ovelha

Fiquei quieta a olhar. Decorei-lhe o gesto e vi como a paixão florescia entre as mãos e os olhos. Recolhi a luz dentro de mim. Ana de Santa Cruz Eu olhei primeiro e voltei para trás. Pedi-lhes que esperassem e apressei-me a mudar de objectiva. Aproximei-me do muro, sorrindo e fotografando ao mesmo tempo. Elas […]

Read More Chamo-me ovelha

Quando quis ser pastora

Os pastores de Virgílio tocavam avenas e outras coisas E cantavam de amor literariamente. (Depois — eu nunca li Virgílio. Para que o havia eu de ler?) Mas os pastores de Virgílio, coitados, são Virgílio, E a Natureza é bela e antiga. Alberto Caeiro   Eu li Virgílio, em latim. Uma  coisa deliciosa. E por […]

Read More Quando quis ser pastora

O império do tempo

Dias diferentes são dias em que faço coisas que não costumo, em que me alegro, em que me zango, em que repito asneiras, em que faço asneiras novas, em que acerto em alguma coisa. Mas talvez isto seja o meu dia a dia… nada tem de novo. Hoje andei entre o Mosteiro de Fornos de Maceira […]

Read More O império do tempo

Sobrevivente

Ouve-me, Sara, ouve-me. Disseram-te: minha filha, tu és isto e aquilo. E eu digo-te: tu és como és, Sara. Disseram-te: as coisas são o que são. Querer que elas sejam outra coisa é tolice e pecado, presunção, sonho infantil, revolta. E eu digo-te: transforma o mundo, Sara. Disseram-te: faz bem o que tens a fazer, […]

Read More Sobrevivente

Alma de sete cores

Tinha o céu da minha alma as sete cores, valia-me este mundo um paraíso, destilava-me a alma um doce riso, debaixo de meus pés brotavam flores! (João de Deus, “A Vida”) No dia 26 de fevereiro vou falar sobre João de Deus, a “alma de sete cores”, numa das salas do Museu Nacional Grão Vasco, […]

Read More Alma de sete cores

Senhora do Castelo

Senhora do Castelo… está lá, sempre, em cima do monte, avistada da minha aldeia. Repito tanto o nome que lhe perco a ressonância antiga. Senhora do Castelo… Senhora do Castelo…

Read More Senhora do Castelo