Dois anos

Ouve o que diz a mulher vestida de sol quando caminha no cimo das árvores «a que distância deixaste o coração?» José Tolentino Mendonça, A que distância deixaste o coração Passaram dois anos. Tenho andado mais por veredas e caminhos sombrios que por largas avenidas luminosas, mas da sombra vem a luz e a criação, mesmo…

Where is my silver road?

Esta é, discreto peregrino, a relação da minha história, em que fui dilatado, para vos mostrar a variedade, que o mundo faz com suas mudanças, o pouco prémio, que interessa, quem o segue, o como no melhor falta, como só o buscar a Deus é caminho seguro, estrada prateada sem perigos, vida, em que só…

My way

*** Naqueles dias não houve uma hora que não fosse sofrida. Encolheu os ombros e pensou que certamente não poderia ter sido de outra forma. Tenho de viver mais devagar, concluiu depois, e sorriu com a ironia . Ana de Santa Cruz, De vita floris. Demorou algum tempo, é verdade. E foram tantas as fotografias…

Estrada de ouro

*** Passou um ano. Passou depressa e cheio. Nunca tive um ano que passasse devagar e tenho sempre a impressão que gasto a vida num instante. Muitas vezes pareceu-me estar tão gasta que já não queria publicar mais. Elaborar conteúdos, no campo da fotografia, do ensaio, da crónica e da poesia, com alguma regularidade, não…