Cidades estranhas

*** A cidade se embebe como uma esponja dessa onda que reflui das recordações e se dilata. Italo Calvino, As cidades invisíveis.   Continuo a escrita de viagens. A memória torna-se mais forte mas também mais apurada. Foi a segunda crónica publicada no Rua Direita. As cidades são estranhas. As cidades são estranhas. Nunca são iguais….

Que feliz fora o mundo se perdida do amor a memória

*** Hoje li a maior parte do pequeno jornal da paróquia enquanto decidia sair ou não do carro e carregar com a mochila para o sétimo andar da faculdade. Chamou-me a atenção um pequeno artigo que falava da memória como suporte essencial para a alegria e para a tristeza. Mas surpreendeu-me uma ideia que não…

dois rios, de Tatiana Salem Levy

Há pessoas que chegam para nos destruir. Outras para nos salvar. Dois rios,  2012, p. 13 Finalizo o artigo para a edição online dos trabalhos apresentados em Salamanca, no congresso La Lengua Portuguesa, organizado por Angel Marcos de Dios no final de maio. Como sempre me acontece, o texto final está bem diferente da comunicação…